Tamanho do texto

Renda média anual familiar na Espanha registrou uma redução de 1,9% e está em 24,6 mil euros

EFE

Em uma pesquisa sobre Condições de Vida, divulgada nesta segunda-feira, o Instituto Nacional de Estatística (INE) da Espanha apontou que 21,1% dos espanhóis estão abaixo do limite da pobreza.

Este número representa um descenso de sete décimos em relação aos 21,8% de 2011, que se justifica pela estabilidade da renda dos maiores de 65 anos, apesar da redução do resto da população.

A taxa de pobreza de quem possui entre 16 e 64 anos chegou aos 21%, contra 19,4% de 2011, ao mesmo tempo em que um entre quatro menores de 16 anos se encontra abaixo do limite da pobreza.

A renda média anual da família espanhola, que registrou uma redução de 1,9%, foi nivelada em 24,6 mil euros. A grave situação de crise econômica, que afeta a Espanha desde 2008, também faz com que 12,7% das famílias espanholas cheguem ao final do mês com "muita dificuldade", sendo que em 2011 esse número girava em torno de 9,8%.

Segundo fontes do INE, os cidadãos acima dos 65 anos formam um grupo cada vez mais numeroso e no qual a taxa de pobreza foi reduzida de 21,7% aos 16,9% devido à estabilidade de suas aposentadorias.

A nacionalidade também evidencia certa disparidade, já que o risco de pobreza entre os espanhóis é situado em 19,8% e, entre os estrangeiros residentes na Espanha (imigrantes), esse número chega aos 26,2%, informou o INE.

Este organismo também destaca que o risco de pobreza também varia de acordo com o nível de formação: 28,9%, entre aqueles que possuem apenas o ensino primário, e 10%, entre aqueles que possuem estudo superior.