Tamanho do texto

Titular das Finanças da França diz que país pode apoiar proposta do FMI de dar à Grécia mais dois anos para cumprir metas fiscais após analisar relatório de credores

Agência Estado

Ministro das Finanças francês, Pierre Moscovici
ASSOCIATED PRESS/AP
Ministro das Finanças francês, Pierre Moscovici

O ministro de Finanças da França, Pierre Moscovici, disse neste sábado que tem esperanças que os problemas da Grécia e da Espanha serão resolvidos nas próximas semanas, o que deve acalmar os mercados financeiros e melhorar a perspectiva para a economia da zona do euro. "O que eu desejo é que esses dois assuntos possam encontrar soluções firmes, duráveis, nas próximas semanas, rápido", disse Moscocivi em uma coletiva de imprensa durante a reunião anual do Fundo Monetário Internacional (FMI) em Tóquio.

LeiaZona do euro estuda novas formas de cortar dívida da Grécia

"Se tal solução for encontrada, e se nós fizermos progressos na questão da supervisão bancária, a perspectiva para a zona do euro pode melhorar mais do que nós esperamos hoje", acrescentou. Em relação à Grécia, Moscovici disse que a discussão sobre o relaxamento nos termos do pacote internacional de resgate recebido pelo país só poderá ocorrer após o relatório da troica de credores - formada por FMI, Banco Central Europeu (BCE) e Comissão Europeia - que dirá se o país está adotando os esforços necessários para consertar as finanças públicas.

MaisEspanha pode pedir resgate europeu em novembro

Se essa for a avaliação da troica, a França poderá apoiar a proposta do FMI para dar à Grécia um prazo de mais dois anos para cumprir as metas fiscais. "Se essa sugestão for feita pela troica, nós certamente poderemos apoiá-la", disse Moscovici. Já no caso da Espanha, o ministro francês se recusou a comentar se o país deveria pedir um resgate internacional. "Depende da Espanha decidir se e quando um programa - cuja natureza ainda precisa ser decidida - pode e deve ser solicitado". As informações são da Dow Jones.

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.