Tamanho do texto

Em documento divulgado nesta sexta-feira, presidente do Conselho Europeu insiste em criação de um orçamento único para países da zona do euro

Agência Estado

Os países da zona do euro devem considerar Orçamento e Tesouro únicos, bem como contratos para unir os países nas reformas econômicas em troca de incentivos financeiros, afirmou o presidente do Conselho Europeu, Herman Van Rompuy, em um relatório provisório publicado nesta sexta-feira (12) e que será apresentado na reunião da União Europeia em Bruxelas no dia 18 de outubro e uma versão final na reunião dos líderes em dezembro.

LEIA TAMBÉM:
Para Mantega, países ricos não podem exportar crise às custas de emergentes

Na versão liberada nesta sexta, o relatório insiste na ideia de que os países da zona do euro devem desenvolver uma "capacidade fiscal" comum - um Orçamento - para "absorver choques assimétricos".

Van Rompuy avançou na proposta ao sugerir que um orçamento comum "poderia requerer o estabelecimento da função de um Tesouro com responsabilidades fiscais claras", tornando mais claro o pedido de um ministro de Finanças para a zona do euro.

Contratos poderiam ser usados para fazer com que os estados-membros se comprometam com reformas econômicas, acrescentou ele, sugerindo que essas ideias para a tendência de ajuste econômico poderiam ser premiadas com "flexibilidade temporária e limitada e incentivos para metas fiscais". Van Rompuy disse que esses incentivos podem também serem oferecidos para os países que não pertencem ao euro. As informações são da Dow Jones.