Tamanho do texto

Banco central dos EUA aponta queda no estoque de casas em alguns distritos que ajudou a impulsionar preços e o crescimento robusto na construção de prédios multifamiliares

Agência Estado

O relatório Livro Bege, divulgado hoje pelo Federal Reserve Bank, o banco central dos Estados Unidos, mostra que o mercado imobiliário teve uma ampla melhora no fim de agosto e começo de setembro, enquanto a economia mais ampla continuou se expandindo em ritmo moderado.

Apontando para a força do mercado imobiliário em todos os 12 distritos do Fed, o relatório reforçou uma série de dados recentes que sugerem que a recuperação do setor está começando a ganhar forçar. O Livro Bege, que é baseado em comentários feitos por empresários e economistas de todo o país, aponta que as vendas de moradias usadas aumentou em todos os distritos, enquanto os preços se mantiveram estáveis ou subiram.

"O mercado imobiliário residencial mostrou uma abrangente melhora desde o último relatório", diz o Livro Bege. O Fed afirma que a queda nos estoques de casas ajudou a impulsionar os preços em alguns distritos. Além disso, algumas regiões registraram um crescimento robusto na construção de prédios multifamiliares. Enquanto isso, o mercado imobiliário comercial permaneceu "misto", com alguma melhora no mercado de escritórios.

O relatório foi preparado pelo Fed de Nova York com base em informações recolhidas até 28 de setembro e será usado para as discussões na próxima reunião de política monetária do banco central, em 23 e 24 de outubro.

No mês passado, o Fed adotou uma medida que visa ajudar o mercado imobiliário. O banco central lançou uma terceira rodada de relaxamento monetário (QE3, na sigla em inglês), por meio da qual vai comprar US$ 40 bilhões por mês em títulos lastreados em hipotecas (MBS, em inglês), até que o mercado de trabalho melhore significativamente. A decisão de comprar os MBS visa reduzir os juros das hipotecas.

O Livro Bege mostra ainda que o mercado de trabalho não mudou muito desde o último relatório. Em alguns distritos, as incertezas com a eleição presidencial de 6 de novembro, juntamente com a crise da dívida na Europa e as projeções para o orçamento norte-americano, estão impedindo alguns empregadores de contratar novos trabalhadores. Assim, as pressões salariais seguem modestas.

Em geral, o Fed afirmou que a atividade econômica "se expandiu modestamente" desde o último relatório, com os gastos dos consumidores estáveis ou com leve alta. Alguns distritos reportaram que as vendas no varejo estavam sendo prejudicadas pela alta nos preços da gasolina, a incerteza política e "receios sobre o abismo fiscal". A expressão "abismo fiscal" se refere a uma série de cortes de gastos e aumentos de impostos automáticos que entrarão em vigor no começo do ano que vem caso não haja acordo no Congresso.

Já as condições no setor de manufatura estavam "mistas", mas "melhoraram um pouco", enquanto o turismo permaneceu estável "em níveis robustos". A demanda geral por empréstimos ficou estável ou mais forte, enquanto as vendas de carros permaneceram estáveis.

Segundo o Fed, as pressões de preços estavam sob controle, apesar da alta nos preços das commodities agrícolas, em função da seca no Meio-Oeste, que continua a prejudicar algumas regiões, o que deixou as condições agrícolas "mistas". As informações são da Dow Jones.


    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.