Tamanho do texto

A partir de janeiro de 2013 aqueles que ganham até 15 mil euros anuais serão taxados em 22%, não mais em 23%

EFE

O Governo italiano aprovou o orçamento do Estado para 2013, com um ajuste de 11,6 bilhões de euros distribuídos pelos próximos três anos, além de uma redução de impostos para as rendas mais baixas e o aumento do IVA.

Após oito horas de reunião, que terminou já durante a madrugada desta quarta-feira, o presidente do Governo italiano, Mario Monti, concedeu entrevista coletiva para apresentar os resultados da chamada "Lei de Estabilidade" aprovada no Conselho de Ministros.

Os principais pontos desta lei é que a partir de janeiro de 2013 aqueles que ganham até 15 mil euros anuais serão taxados em 22%, não mais em 23%.

Já os que têm renda entre 15 mil e 28 mil euros terão alíquota de 26%, em vez de 27%. O Governo também indicou que a partir de junho do ano que vem o IVA subirá um ponto percentual, passando para 11% em sua versão reduzida e para 22% no geral.

O restante dos fundos para cobrir o ajuste será recolhido com a chamada "spending review", ou seja, a reorganização dos gastos públicos que permitirá uma economia de 3,5 bilhões de euros. Também estão previstos duros cortes para o setor público, começando pela saúde, que verá encolher o montante destinado à aquisição de dispositivos médicos.

Além disso, se congelará o contrato dos funcionários públicos até 2014. As contas públicas também contam com os ingressos que serão recolhidos com a chamada "Taxa Tobin", imposto sobre as transações financeiras que foi estipulado por 11 países da União Europeia.

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.