Tamanho do texto

Lento progresso da zona do euro significa que é provável que bancos europeus se desfaçam de US$ 2,8 trilhões em ativos ao longo de dois anos para reduzir sua exposição a risco

Reuters

O Fundo Monetário Internacional (FMI) pediu para que as autoridades europeias aprofundem seus laços financeiros e fiscais na zona do euro com certa urgência, para restaurar a confiança no sistema financeiro global.

Em sua avaliação semestral sobre a saúde financeira mundial, o FMI afirmou que a crise da dívida da zona do euro é uma ameaça-chave e que os riscos à estabilidade financeira global cresceram nos últimos seis meses, deixando a confiança "muito frágil".

O lento progresso da zona do euro significa que é provável que bancos europeus se desfaçam de US$ 2,8 trilhões em ativos ao longo de dois anos para reduzir sua exposição a risco, um aumento de US$ 200 bilhões frente a uma previsão de seis meses atrás, estimou o FMI.

"Apesar de muitos passos importantes já terem sido dados por autoridades, a agenda continua criticamente incompleta, expondo a zona do euro a uma espiral descendente de fuga de capitais, temores de dissolução e declínio econômico", afirmou o fundo multilateral em relatório divulgado na quarta-feira, no Japão (terça-feira em Brasília).

(Reportagem de Anna Yukhananov)


    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.