Tamanho do texto

Para o primeiro-ministro grego, Antonis Samaras, o Banco Central Europeu poderia ajudar com juros menores para a dívida grega ou aprovar uma rolagem quando esses títulos da dívida vencerem

Reuters

O primeiro-ministro grego, Antonis Samaras, afirmou a um jornal alemão em entrevista publicada nesta sexta-feira que seu país não pode ficar além de novembro sem a próxima parcela do pacote de ajuda internacional, e sugeriu que o Banco Central Europeu (BCE) pode ajudar por meio de alívo sobre termos da dívida grega que detém.

"A resposta é liquidez. É por isso que a próxima parcela de crédito é tão importante para nós", disse Samaras ao Handelsblatt.

Questionado sobre por quanto tempo a Grécia poderia ficar sem a próxima parte do pacote, ele disse: "Até o fim de novembro. Então o caixa estará vazio."

O Banco Central Europeu poderia ajudar aceitando juros menores para a dívida grega que détem, "ou poderia aprovar uma rolagem quando esses títulos vencerem", disse ele.

"Eu também poderia imaginar a recapitalização de bancos gregos como está sendo considerado para a Espanha, o que não seria respondido pelas dívidas estatais, mas realizado diretamente via ESM (fundo de resgate europeu). Esse seria um alívio significativo", disse Samaras.