Tamanho do texto

Expectativa é que o Mecanismo Europeu de Estabilização Financeira entre em operação em 8 de outubro com um poder de fogo de 500 bilhões de euros

Reuters

O Ministério das Finanças da Alemanha afirmou nesta segunda-feira que as conversas sobre alavancar o fundo de resgate permanente da zona do euro para 2 trilhões de euros por meio do envolvimento do setor privado não são realistas, acrescentando que qualquer discussão sobre números precisos é "puramente abstrata".

O porta-voz do Ministério Martin Kotthaus disse que havia negociações em curso em Bruxelas sobre alavancar a capacidade do Mecanismo Europeu de Estabilização Financeira (ESM, na sigla em inglês) da mesma forma que seu antecessor, o Fundo Europeu de Estabilização Financeira (EFSF, em inglês).

Mas, quando questionado sobre uma reportagem da revista Spiegel sobre a capacidade de o ESM ser alavancado para 2 trilhões de euros, ele disse que isso era "ilusório".

"Não é viável falar sobre números neste momento", disse ele a repórteres. "Isso é puramente abstrato."

Kotthaus afirmou que o governo alemão e o Parlamento apoiavam a ideia de aumentar a capacidade do ESM por meio de "participação de capital privado em empréstimos e outros instrumentos para Estados que os solicitarem", assim como eles apoiaram tais instrumentos para o EFSF.

Espera-se que o ESM entre em operação em 8 de outubro com um poder de fogo de 500 bilhões de euros.

Kotthaus afirmou que não tinha informações sobre uma reportagem separada da Spiegel sobre um buraco de 20 bilhões de euros no orçamento estatal da Grécia.