Tamanho do texto

Ex-líder defende da gestão econômica do atual presidente, que foi alvo de ataques do rival republicano na disputa pela presidência, Mitt Romney, e de líderes outros republicanos

EFE

O ex-presidente americano Bill Clinton afirmou neste domingo que, perante a crise econômica de 2007, nenhum líder conseguiria restabelecer a economia "magicamente" em apenas um mandato. Durante uma entrevista a um programa da rede "CBS", realizada na sede da Iniciativa Global Clinton em Nova York, o ex-líder saiu em defesa da gestão econômica de Barack Obama, que foi alvo de ataques de seu rival republicano na disputa pela presidência, Mitt Romney, e de líderes republicanos do Congresso.

Segundo Clinton, nenhum presidente dos Estados Unidos seria capaz de "reajustar plenamente" a economia americana em apenas quatro anos. "Por isso é que temos que seguir trabalhando nisso", disse o ex-líder. De acordo com Bill Clinton, graças aos esforços de Obama, o quadro econômico melhorou, criando mais empregos do que o presidente antecessor, o republicano George W. Bush.

Obama abraça Bill Clinton durante Convenção Democrata em Charlotte
AP
Obama abraça Bill Clinton durante Convenção Democrata em Charlotte


O ex-líder disse que em sua opinião, a proposta de Romney e dos republicanos para o governo não beneficiará a economia nacional. Por outro lado, disse Clinton, Obama oferece uma proposta equilibrada composta por um chamado aos investimentos, um aumento na renda e um plano para reduzir o gasto público, tendo mais chances de prosperidade. O ex-presidente criticou a aparente opacidade de Romney na hora de divulgar sua declaração de impostos de 2011 na sexta-feira passada.

A declaração demonstra que Romney, cuja fortuna ronda US$ 250 milhões, pagou uma taxa impositiva de 14,1%. A maioria dos impostos pagos foram por conceito de lucro de capital, que têm uma taxa impositiva de 15%. "Não acho que possamos sair deste buraco se o povo com esse nível de renda só paga 13% ou 14% em impostos", argumentou Clinton, ao vincular o pagamento de impostos de Romney ao debate nacional sobre como recuperar a economia.

Perguntado sobre a possibilidade de Obama conseguir se reeleger, Clinton considerou que o atual presidente está na frente, mas advertiu que Romney segue perto. O ex-mandatário americano convidou os dois candidatos a participarem da conferência da Iniciativa Global Clinton, que será realizada em Nova York em paralelo à Assembleia Geral das Nações Unidas nesta semana.