Tamanho do texto

Dados indicam que a segunda maior economia do mundo permanece no caminho de um sétimo trimestre de crescimento lento

Reuters

O setor industrial da China sofreu contração pelo 11º mês seguido em setembro, de acordo com a pesquisa Índice de Gerentes de Compra (PMI), indicando que a segunda maior economia do mundo permanece no caminho de um sétimo trimestre de crescimento lento.

O PMI preliminar do HSBC mostrou que a atividade se estabilizou em setembro após atingir uma mínima de nove meses em agosto, com o indicador subindo para 47,8 ante 47,6 no mês passado.

Mas embora a economia possa não ter piorado, houve poucos sinais de uma mudança. Em vez disso, o PMI, que fornece uma primeira ideia das condições da indústria chinesa em setembro, indicou um mês em que o declínio foi suspenso, mas não revertido.

A leitura de setembro amplia o período mais longo em que o PMI permanece abaixo da marca de 50 que separa contração de expansão desde que o HSBC começou a realizar a pesquisa em 2004.

Houve uma estabilização entre os subíndices da pesquisa, com exceção do de produção, que atingiu o menor nível em 10 meses.

"O crescimento industrial da China ainda está lento, mas o ritmo da desaceleração está se estabilizando. As atividades industriais permanecem sem brilho, devido a fracos fluxos de novos negócios e a um processo de consumo de estoque mais longo do que o esperado", disse o economista-chefe do HSBC para a China, Qu Hongbin.

"Isso acrescenta mais pressão ao mercado de trabalho e levou Pequim a acelerar o afrouxamento nas última semanas. As recentes medidas devem trabalhar para levar a uma melhora modesta a partir do quatro trimestre."

A China apresentou uma série de medidas na semana passada para ajudar a estabilizar o crescimento das exportações, incluindo o pagamento mais rápido da restituição do imposto de exportação e a ampliação de empréstimos para exportadores.