Tamanho do texto

Sentimento dos europeus ficou enfraquecido com demissões do governo, cortes de orçamento, desemprego recorde e inflação

Reuters

A confiança do consumidor da zona do euro caiu em setembro com o sentimento dos europeus enfraquecendo como resultado de demissões do governo, cortes de orçamento, desemprego recorde e uma inflação insistentemente alta puxada por preços mundiais de petróleo.

A confiança do consumidor na região caiu para -25,9 ante -24,6 em agosto, disse a Comissão Europeia nesta quinta-feira. Entre os 27 membros da União Europeia, o sentimento dos consumidor caiu para -23,9 em setembro ante -22,7.

Veja também:  Índice de atividade na zona do euro cai ao menor nível desde junho de 2009

Os gastos dos consumidores representam mais de metade da produção econômica da zona do euro, mas as famílias não estão em posição de ajudar a uma recuperação, já que o impacto da crise da dívida reduz sua renda disponível.

Líderes da UE querem impulsionar o crescimento econômico e o emprego depois de quase três anos de crise e austeridade, mas o bloco tem poucos recursos imediatos para investir e enfrentar o desafio de longo prazo de uma produtividade em queda e envelhecimento da força de trabalho.

O Produto Interno Bruto (PIB) nos 17 países que usam o euro caiu 0,2 por cento no segundo trimestre deste ano ante o primeiro. Muitos economistas veem a zona do euro, que gera 16 por cento da produção econômica global, encolhendo pelo menos 0,3 por cento este ano. A recuperação pode vir somente em meados de 2013.

(Reportagem de Robin Emmott)

Leia tudo sobre a Crise Econômica  na Europa:

Crise faz pais abandonarem filhos na Grécia

Sem-teto ganham ternos para enfrentar entrevistas de emprego

Sem a família italiana, que fazia o papel do Estado, cresce o número de sem teto

Crise prende jovens espanhóis à casa dos pais