Tamanho do texto

O superávit comercial não ajustado nos 17 países que usam o euro atingiu 15,6 bilhões de euros em julho, ante 2,1 bilhões em junho

Reuters

As exportações da zona do euro não ajustadas para fatores sazonais cresceram em julho na comparação anual mais de cinco vezes mais rápido que as importações, impulsionando o superávit comercial da região com o resto do mundo, informou nesta segunda-feira o escritório de estatísticas da União Europeia, Eurostat.

O superávit comercial não ajustado nos 17 países que usam o euro atingiu 15,6 bilhões de euros em julho, ante 2,1 bilhões em junho, uma vez que as exportações subiram 11% em termos anuais e as importações cresceram apenas 2%.

A fraqueza das importações indica uma queda na demanda doméstica conforme a zona do euro afunda ainda mais na desaceleração econômica provocada pela crise da dívida soberana.

Ajustado para fatores sazonais, o superávit comercial foi de apenas 7,9 bilhões de euros, ante 9,3 bilhões em junho, uma vez que as exportações recuaram 2% na comparação mensal e as importações caíram 1,2%.

Dados detalhados do Eurostat ainda não estavam disponíveis, mas o período entre janeiro e junho mostra que o crescimento das exportações se deveu principalmente às vendas de maquinário, veículos e outros bens manufaturados.

Isso compensou importações mais caras de energia, e importações menores de matérias-primas também ajudaram.

O principal motor de exportação é a Alemanha, responsável por mais da metade das exportações da zona do euro. A segunda maior contribuição para o superávit comercial veio da Holanda, e a terceira, da Irlanda.