Tamanho do texto

Governo comandado por Antonis Samaras está tentando implantar grandes cortes no orçamento exigidos pelos credores em troca dos pacotes de ajuda financeira

Agência Estado

O primeiro-ministro da Grécia, Antonis Samaras, afirmou que sair da zona do euro "não é uma opção" para o país. Em entrevista ao jornal Washington Post, publicada na noite de sábado, expressou sua determinação em dar continuidade a dolorosas reformas. "Temos de garantir que mantemos o que assinamos, porque acreditamos que o que chamam de 'Grexit' não é uma opção para nós", declarou, utilizando a expressão que mistura as palavras "Grécia" e "exit", referindo-se à saída da zona do euro.

Grécia terá mais tempo, mas não mais dinheiro, diz ministra austríaca

Compra de bônus do BCE dá tempo a países em dificuldades, diz Trichet

"Seria uma catástrofe", acrescentou. "Em 2013, vamos ter um país no sexto ano de recessão, com desemprego acima de 22% e aumentando. Estamos aqui para cumprir nossas obrigações, alcançar nossas metas." Samaras, que se tornou primeiro-ministro no começo deste ano, está tentando implantar grandes cortes no orçamento exigidos pela União Europeia, pelo Fundo Monetário Internacional (FMI) e pelo Banco Central Europeu (BCE), em troca dos pacotes de ajuda recebidos.

Mas o primeiro-ministro grego insistiu que seria impossível para o parlamento grego aprovar esses cortes agora. "Tenho de passá-los pelo parlamento, e vão passar porque todos nós percebemos que o primeiro pré-requisito para o nosso futuro é permanecer na zona do euro", disse. "Mas é um programa de quatro anos, e não algo que podemos fazer hoje." As informações são da Dow Jones.