Tamanho do texto

Segundo a organização, países desenvolvidos também continuarão a enfrentar problemas nos próximos trimestres

Reuters

A desaceleração nas economias emergentes China, Índia e Rússia vai persistir nos próximos trimestres, enquanto as perspectivas para a zona do euro permanecem fracas, afirmou nesta quinta-feira a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

O instituto com base em Paris afirmou que seu indicador composto antecedente para a China permaneceu estável em julho ante junho em 99,1, uma taxa consistente com uma desaceleração econômica e abaixo da média de longo prazo de 100.

O indicador para a Índia também permaneceu estável mas no nível ainda mais baixo de 98,1, enquanto o índice para a Rússia caiu para 99,1, ante 99,6 em junho.

Países desenvolvidos também continuarão a enfrentar problemas nos próximos trimestres, disse a OCDE, que na semana passada reduziu as estimativas de crescimento para a maioria dos países do G7, dizendo que a crise da dívida da zona do euro se espalhou para o centro da região.

"Indicadores antecedentes compostos, desenhados para antever momentos de viradas na atividade econômica relativos a tendência, mostra que a perda de força deve persistir nos próximos trimestres na maioria das principais economias de dentro e de fora da OCDE", disse a OCDE em comunicado.

O indicador para os Estados Unidos caiu para 100,8 ante 100,9. A leitura para a zona do euro permaneceu bem abaixo da marca de 100, caindo para 99,4 ante 99,5. Em meio às maiores economias da zona do euro, a Itália foi a que teve desempenho mais fraco, caindo para 98,8 ante 98,9.