Tamanho do texto

Se os parceiros europeus cumprirem acordo de reduzir a dívida bancária da Irlanda, país poderá retornar aos mercados de títulos de longo prazo sem usar o programa do BCE

Reuters

A Irlanda não deve recorrer o novo programa de compra de títulos do Banco Central Europeu (BCE) antes de sair do resgate da UE e do FMI, no fim de 2013, e mesmo se recorrer será em caso de emergência, afirmou o ministro das Finanças do país nesta terça-feira.

Se os parceiros europeus de Dublin cumprirem um acordo de reduzir a dívida bancária da Irlanda, o país poderá retornar totalmente aos mercados de títulos de longo prazo sem usar o programa do BCE, afirmou à Reuters Michael Noonan.