Tamanho do texto

Chanceler alemã teme "efeito dominó" similar ao observado com a falência do Lehman Brothers, caso país deixe bloco econômico

Agência Estado

A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, está convencida de que a Grécia não deve deixar a zona do euro, temendo graves efeitos colaterais, se o endividado país abandonar a moeda, adiantou a revista semanal alemã Der Spiegel, sem identificar as fontes. "Temos que encontrar uma solução", disse Merkel a um número pequeno de pessoas em uma reunião na semana passada, de acordo com a publicação.

A revista informou que a chanceler alemã e seus conselheiros temem que uma saída da Grécia da zona do euro pode ter um "efeito dominó" similar ao observado com a falência do Lehman Brothers, em 2008. Somente a Alemanha teria que amortizar cerca de 62 bilhões de euros (US$ 78 bilhões), se os gregos deixarem a moeda, de acordo com o publicação.

Além disso, Merkel também considera os "custos políticos" de uma saída da zona do euro por Atenas inaceitável, temendo que o governo alemão possa ter de ajudar a estabilizar outros países como Itália e Espanha por meio de uma "união de dívida", informou a Der Spiegel. As informações são da Dow Jones.