Tamanho do texto

Investidores passaram a se focar na perspectiva de uma intervenção do Banco Central Europeu em mercados periféricos de títulos para ajudar a conter os custos de empréstimos

Reuters

Os títulos espanhóis avançaram e o preço da dívida alemã recuou nesta segunda-feira, uma vez que traders passaram a se focar na perspectiva de uma intervenção do Banco Central Europeu (BCE) em mercados periféricos de títulos para ajudar a conter os custos de empréstimos.

Uma revista alemã noticiou que o BCE estava avaliando determinar patamares de taxas de juros para compras de títulos, o que significa que vai comprar dívida emitida pelos Estados problemáticos da região se suas taxas de juros superarem um prêmio determinando sobre os Bunds (bônus alemães).

MaisAlemanha diz que quem não cumprir promessa não receberá ajuda

A medida sinalizaria aos investidores qual nível de juros o BCE considera apropriado. Isso desestimularia especuladores a elevarem os rendimentos acima do nível determinado pelo banco central, segundo a revista.

Traders disseram que isso ajudou a levar os Bunds futuros para a mínima da sessão de 141,14, queda de 98 pontos-base no dia, além de provocar um rali na dívida espanhola. Os yields de 10 anos da Espanha eram negociados com baixa de 21 pontos-base, a 6,28%.

Entretanto, o volume baixo de negociação exagera os movimentos de preços, e mais detalhes sobre os planos do BCE seriam necessários para que tais movimentos de preços possam ser considerados uma tendência sustentável, disseram participantes do mercado.

TambémBCE estuda juros de referência para compra de bônus

"Muitos no mercado ainda teriam dúvidas sobre se o BCE tem a capacidade de fazer isso funcionar. Isso exigiria (que o BCE) garantisse compras ilimitadas, o que eu acho que na verdade não é da competência dele", opinou Elwin de Groot, economista sênior do Rabobank.

O ministro da Economia da Espanha afirmou no sábado que o BCE tem que adotar medidas vigorosas e ilimitadas para comprar dívida soberana.

A expectativa de compras em massa de dívida espanhola de vencimento próximo já reduziu os yields espanhóis de dois anos desde que o presidente do BCE, Mario Draghi, afirmou em 26 de julho que o banco fará o que for necessário para preservar o euro.

AindaEspanha não pedirá à UE lance urgente da ajuda aos bancos

Entretanto, as autoridades ainda estão nos estágios iniciais de determinar detalhes de qualquer plano, e a crucial aprovação alemã ainda não está explícita.

O BCE realizará sua reunião regular sobre política em 6 de setembro, seguida por reunião dos ministros das Finanças da zona do euro em 15 de setembro. A expectativa é que ambas joguem alguma luz sobre os planos de ajudar a Espanha a enfrentar o fardo de sua dívida.