Tamanho do texto

Primeiro-ministro italiano negou que o governo esteja considerando cortar imposto de renda e ressaltou que país tem enfrentado 'situação de emergência' ao introduzir reformas estruturais

Agência Estado

O primeiro-ministro da Itália, Mario Monti, negou hoje que seu governo esteja considerando cortar imposto de renda e afirmou que é impossível no momento afrouxar a política de austeridade fiscal do país destinada a controlar a dívida italiana. Referindo-se a uma recente reportagem do jornal italiano La Repubblica, sobre uma possível redução do imposto de renda, Monti disse que o governo "não está estudando qualquer medida nesse sentido no momento".

MaisItália precisa de 'apoio moral' da Alemanha, diz Monti

O primeiro-ministro italiano afirmou também que seu governo tecnocrata tem enfrentado uma "situação de grave emergência" ao introduzir reformas estruturais destinadas a equilibrar o orçamento da Itália, mesmo com impostos mais baixos. "Mas, no momento, o foco no reequilíbrio das finanças públicas não pode ser afrouxado", acrescentou.

TambémMonti diz que Itália não precisa de um resgate, mas de "um respiro"

Monti disse que buscar uma carga fiscal menor é ainda um dos principais objetivos de seu governo, mas os cortes de impostos agora seriam prematuros. As informações são da Dow Jones.