Tamanho do texto

Com o mecanismo, fundo europeu anticrise poderá recapitalizar diretamente bancos em dificuldades, em vez de realizar esta operação via empréstimos a governos

Reuters

Angela Merkel, chanceler alemã, é contra a capitalização direta de bancos
AP Photo/Geert Vanden Wijngaert
Angela Merkel, chanceler alemã, é contra a capitalização direta de bancos

Autoridades financeiras da zona do euro propuseram aos líderes do bloco que um único órgão supervisor bancário, envolvendo o Banco Central Europeu (BCE), seja instaurado o mais rápido possível, de acordo com documento redigido nesta quinta-feira, na cúpula da União Europeia (UE).

Proteção:  UE aprova plano de crescimento de 120 bilhões de euros

Uma vez que isso aconteça, o documento afirma que o fundo de resgate permanente da zona do euro, o Mecanismo Europeu de Estabilização Financeira (ESM, na sigla em inglês), deve ter permissão para recapitalizar diretamente bancos em dificuldades, em vez de fazer isso via empréstimos a governos.

Qualquer empréstimo direto, que a Espanha queira para seu sistema bancário, teria de contar com "condições adequadas, incluindo o cumprimento das regras dos auxílios estatais", afirmou o documento obtido pela Reuters.

A Alemanha é contra que mecanismos de resgate da zona do euro possam recapitalizar os bancos diretamente, um vez que foram instituídos para dar assistência aos Estados e não às instituições financeiras.

Até que um órgão supervisor bancário na zona do euro seja criado, algo que deve provavelmente tomar algum tempo, o documento diz que "soluções interinas serão estabelecidas com o BCE", sem dar mais detalhes.

O documento, redigido por diplomatas sêniores e membros do grupo de trabalho da zona do euro, composto por vice-ministros das Finanças, também diz que os dois fundos de resgate da região deveriam ser utilizados "de maneira flexível e eficiente" para estabilizar os mercados.

(Reportagem de Luke Baker)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.