Tamanho do texto

Em comunicado, o Eurogroup afirmou que assim que o volume final for determinado, a ajuda será paga a partir do temporário Fundo Europeu de Estabilização Financeira

Reuters

Ministros das Finanças da zona do euro receberam bem o pedido da Espanha para assistência dos fundos de resgate da zona do euro nesta quarta-feira e afirmaram que o país deve pedir entre 51 e 62 bilhões de euros, além de uma "margem de segurança" adicional.

Merkel rejeita qualquer mecanismo de coletivização da dívida na eurozona

União Europeia aprova ajuda temporária ao banco espanhol Bankia

Em comunicado, o Eurogroup afirmou que assim que o volume final for determinado, a ajuda será paga a partir do temporário Fundo Europeu de Estabilização Financeira (EFSF) antes de ser transferido para o permanente Mecanismo Europeu de Estabilização Financeira (ESM). O comunicado diz que o valor final ficará "bem dentro" do limite de 100 bilhões de euros determinado pelo Eurogroup.

Os fundos serão pagos para o mecanismo de reestruturação bancária do governo, conhecido como FROB, mas o governo espanhol "permanecerá totalmente responsável e assinará o memorando de entendimento", disse o Eurogroup.

Em comunicado separado divulgado ao mesmo tempo, o Eurogroup recebeu bem o pedido de Chipre para ajuda e disse que o país também receberá em breve assistência do EFSF e/ou do ESM, uma vez que uma avaliação de suas necessidades estiver finalizada.

Em troca da assistência, que deve chegar a cerca de 10 bilhões de euros, de acordo com autoridades, o Chipre terá que se comprometer com cortes orçamentários e reformas estruturais, além de medidas para fortalecer seus setores bancário e financeiro.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.