Tamanho do texto

Para Instituto Zew, que mede indicador, o declínio é um alerta de que o otimismo com a economia alemã ainda é prematuro, devido à crise vivenciada pelos países vizinhos

O índice de expectativas para a economia da Alemanha medido pelo Instituto Zew caiu de 10,8 em maio para -16,9 em junho, a maior queda entre dois meses desde outubro de 1998. Analistas previam um recuo muito menos acentuado, para entre 2,8 e 2,3.

LeiaAnálise: O euro respira tranquilo, por enquanto

O instituto disse que o declínio é um alerta de que o otimismo com a economia da Alemanha ainda é prematuro, já que os principais parceiros comerciais do país estão passando por dificuldades econômicas. O índice de avaliação das condições atuais caiu de 44,1 em maio para 33,2 em junho. Analistas previam diminuição para 39,0. O Zew ouviu 274 analistas e investidores instituições em sua pesquisa.

MaisAlemanha não pressionará Grécia demais, diz vice-ministro das Finanças

O instituto informou que a piora da situação no setor bancário espanhol e a incerteza sobre o futuro da eleição geral na Grécia, que persistia durante boa parte do período em que foi realizada a pesquisa, contribuíram para a forte queda. O presidente do Instituto Zew, Wolfgang Franz, notou que a situação na zona do euro ainda é delicada. "O resultado da eleição grega é um breve fôlego, apenas isso, nem mais nem menos", avaliou o economista.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.