Tamanho do texto

Presidenta Cristina Kirchner afirmou ser contra políticas de austeridade adotadas para tentar impulsionar as economias em crise

A presidenta argentina, Cristina Kirchner, defendeu nesta segunda-feira na cidade mexicana de Los Cabos, que abriga a cúpula do G20, políticas "a favor do crescimento e contra o ajuste" em tempos de crise como os atuais, explicou seu chanceler, Héctor Timerman.

LeiaCâmbio e livre comércio são temas 'esquecidos' do G20

Em declarações à imprensa ao fim dos trabalhos no primeiro dos dois dias de cúpula, Timerman explicou que Cristina é a favor de "medidas pró-ativas e anticíclicas" nas discussões. Nesta segunda-feira, a líder da Argentina se reuniu a presidenta Dilma Rousseff, e conversou com o líder russo, Vladimir Putin, mais tarde, durante o plenário. Com Dilma, a governante argentina concordou com a necessidade de impulsionar políticas de crescimento frente às de austeridade, detalhou Timerman.

O chanceler argentino sustentou que seu país defende que "é o Estado o responsável por assumir seus compromissos de criar demanda e trabalho, e estar ao serviço do bem-estar das nações" em um contexto de desaceleração econômica como o atual.

TambémEmergentes elevarão capitalização do FMI a US$ 456 bilhões

Com relação aos trabalhos e à declaração final da cúpula realizado em Los Cabos, Timerman antecipou que "não haverá surpresas", e ressaltou que o texto exporá claramente a necessidade de superar a crise, "especialmente na zona do euro". Esse documento também conterá "um reconhecimento aos países emergentes que fizeram um grande esforço para manter suas economias" durante a conjuntura de crise, acrescentou. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.