Tamanho do texto

Líder conservador fez a declaração após receber formalmente do presidente grego, Karolos Papoulias, o mandato para formar um governo

O líder conservador grego, Antonis Samaras, afirmou nesta segunda-feira que vai tentar alterar os termos de um programa de resgate que mantém a Grécia solvente se conseguir formar um governo.

LeiaApós alívio na Grécia, G20 quer fortalecer euro e economia mundial

"Ontem disse que a Grécia respeita sua assinatura. Ao mesmo tempo queremos a renegociação do plano de resgate", disse o político em entrevista coletiva em Atenas. Para isso, considerou "necessária" a formação de um governo de "salvação nacional com a participação do maior número possível de partidos".

Samaras, que derrotou o partido esquerdista radical Syriza na eleição de domingo, deu a declaração depois de receber formalmente do presidente Karolos Papoulias o mandato para formar um governo. O partido Nova Democracia obteve pouco mais de 29% dos votos no pleito de domingo, o que significa que receberá 129 cadeiras das 300 do Parlamento. Por isso, precisa do apoio de alguma outra legenda, provavelmente dos social-democratas do Pasok, que conseguiram 33 cadeiras.  

MaisEsquerdistas admitem derrota na Grécia e prometem oposição

Após a primeira reunião para formar governo, com os esquerdistas do Syriza (que obtiveram 26,9% dos votos e 71 cadeiras), Samaras constatou seu fracasso, mas assegurou que continuará com seus "esforços" para pactuar um Executivo.

O líder do Syriza, Alexis Tsipras, assegurou que em caso de renegociação do memorando de medidas de austeridade, como prometeu Samaras antes das eleições, o Syriza "se manterá em contato permanente" com o líder do Nova Democracia. Ainda hoje, Samaras manterá uma reunião com o líder do Pasok, Evangelos Venizelos.

(com EFE)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.