Tamanho do texto

Os mercados estão estão tensos com o resultado das eleições que acontecem neste domingo na Grécia

O prêmio de risco espanhol marcou nesta sexta-feira um novo máximo ao finalizar o dia em 543,7 pontos básicos, com os investidores esperando o resultado das eleições na Grécia no próximo domingo. A rentabilidade do bônus espanhol em dez anos terminou em 6,87%, abaixo do 6,91% de ontem, mas ainda próximo de 7%, que é o nível que os analistas consideram crítico.

O prêmio de risco espanhol somou 55 pontos básicos em uma semana protagonizada pelo acordo do Eurogrupo para ajudar aos bancos espanhóis e pelo rebaixamento da nota do país por parte da agência de medição de riscos Moody's. Com o euro cotado a US$ 1,26, o bônus alemão, que é o que serve de base para o cálculo, fechava em 1,44% de juros.

Leia também: Telefonia móvel espanhola tem o pior desempenho da história

A vice-presidente do governo da Espanha, Soraya Sáenz de Santamaría, lançou hoje uma mensagem de tranquilidade ao assegurar que está mais preocupada "com a Espanha real, além do fato de o prêmio (de risco) subir ou baixar", mas reconheceu que "não podemos nos permitir pagar os juros que se pagam pela dívida". Neste contexto, a dívida do conjunto das administrações públicas cresceu 5,39% no primeiro trimestre do ano em relação ao fechamento de 2011 e alcançou os 774,549 bilhões de euros, o que equivale a 72,1% do Produto Interno Bruto (PIB), o nível mais alto da série histórica.

Os mercados aguardam a decisão das eleições que acontecem neste domingo na Grécia, à espera da vitória dos partidos políticos partidários da continuidade no euro ou daqueles que rejeitam as condições associadas ao resgate. Perante esta incerteza, diferentes líderes europeus insistiram em reforçar a união entre os países da zona do euro e, nesse sentido, hoje foi realizada uma reunião para preparar de forma conjunta a próxima Cúpula do G20.

Já o prêmio de risco italiano se reduzia em 15 pontos básicos e fechava em 449 pontos, apesar de os analistas insistirem que a preocupação em torno deste país aumentou em sintonia com a pressão sobre a Espanha. Enquanto isso, o risco-país irlandês terminou hoje em 595 pontos básicos; o português, em 909 pontos, e o grego, em 2.569 pontos.

Os seguros de falta de pagamento de dívida (credit default swap ou CDS) relativos aos bônus a dez anos da Espanha para cobrir a possibilidade de falta de pagamento de US$ 10 milhões eram negociados a US$ 544,6 mil anuais, o que os coloca como os sétimos mais caros do mundo. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.