Tamanho do texto

Analistas defenderam que o BCE permita temporariamente inflação bem acima de sua meta para permitir que países reconquistem competitividade

O Banco Central Europeu (BCE) não irá tolerar uma inflação alta na zona do euro para permitir que países periféricos reconquistem sua competitividade, afirmou o banco em seu boletim mensal nesta quinta-feira.

Alguns analistas defenderam que o BCE permita temporariamente inflação bem acima de sua meta de "abaixo, mas perto de 2%" para permitir que países afetados pela dívida consigam reconquistar a competitividade mais rápido em comparação com economias principais.

TambémRecuo do petróleo ajuda a aliviar inflação na zona do euro

Mas o BCE afirmou que os ganhos de competitividade têm que vir de reformas econômicas internas, e alertou contra altos aumentos de salários nas regiões mais fortes do bloco de moeda comum.

"O crescimento dos preços e do custo em países que viram anteriormente um excesso em relação a isso precisam ser significativamente mais baixos do que a média da zona do euro em uma fase de transição", disse o BCE, acrescentando que os países com economias mais fortes devem ter uma inflação acima da média.

"Entretanto, os países mais competitivos precisam evitar -também nessa fase de transição- aumentos excessivos de salários que levariam a um desemprego mais alto."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.