Tamanho do texto

Documento indica que esforços devem estar apoiados por governança reforçada no euro; líderes europeus realizarão cúpula entre 28 e 29 de junho

A zona do euro precisa de integração bancária e fiscal muito mais forte e de governança reforçada, e o caminho para atingir tais objetivos será mostrado em um relatório das principais autoridades da União Europeia (UE), mostrou um rascunho das conclusões para a cúpula dos dias 28 e 29 de junho de líderes da UE.

"Recentes desdobramentos demonstraram a necessidade de tomar a União Econômica e Monetária para o próximo estágio", informou as conclusões do rascunho, obtido pela Reuters.

LeiaCinco propostas para enfrentar uma ruptura na zona do euro

"O novo estágio será construído sob integração política mais profunda e coordenação. Há uma necessidade para mais blocos de construção específicos centralizados em torno de uma integração bancária e fiscal mais forte, apoiado por uma governança reforçada no euro", mostrou o rascunho.

O texto das conclusões da cúpula serão discutidas por embaixadores da UE na quinta-feira.

O presidente da Comissão Europeia, José Manuel Barroso; o presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi; o presidente do Eurogroup, Jean-Claude Juncker; e o presidente do Conselho Europeu, Herman Van Rompuy, receberam a tarefa de falar à cúpula sobre a integração da zona do euro.

VejaAlemanha quer discutir questões fiscais dos Estados Unidos e da China no G20

"O relatório comissionado em 23 de maio sobre as ações em direção a uma união econômica e monetária total irá estabelecer os principais blocos, alguns acerca de todos os Estados-membros da União, outros apenas para os membros da zona do euro e, como apropriado, outros que estão dispostos a se unirem", informou o rascunho.

"Também serão dadas indicações sobre o método de trabalho e o tempo para atingir esse objetivo. Esse tópico também será discutido na cúpula do euro que seguirá ao Conselho Europeu."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.