Tamanho do texto

Para o vice-ministro das Finanças da China, Zhu Guangyao, empréstimo à Espanha para apoiar bancos em dificuldade é solução bem-vinda no curto prazo, mas é necessário fazer mais

A China disse que a decisão dos ministros das Finanças de zona do euro de emprestar à Espanha 100 bilhões de euros para apoiar os bancos em dificuldade do país é uma solução benvinda no curto prazo, mas pediu que o bloco tome ações mais decisivas para garantir estabilidade no longo prazo.

Entenda o empréstimo para salvar os bancos da Espanha

O resgate aos bancos espanhóis, prejudicados pela inadimplência desde o estouro da bolha imobiliária, fez com que a Espanha se tornasse o quarto país a buscar assistência desde o início da crise da dívida.

O vice-ministro das Finanças da China, Zhu Guangyao, disse a repórteres nesta segunda-feira que a China comemora o que ele chamou de determinação da União Europeia (UE), mas acrescentou que é necessário fazer mais.

"Nós esperamos que essas medidas sejam úteis em conter a crise", disse Zhu em entrevista. "Isso pode ter ótima função em controlar o risco no curto prazo. Mas, no interesse da estabilidade de médio e longo prazos, nós esperamos que a zona do euro melhore o seu consenso e tome ações mais decisivas."

Com o resgate de Grécia, Irlanda, Portugal e agora Espanha, a UE e o Fundo Monetário Internacional (FMI) já comprometeram aproximadamente 500 bilhões de euros em resgates financeiros a nações europeias.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.