Tamanho do texto

Miguel Ángel Fernández Ordóñez,  que está de saída do cargo, afirmou que a prioridade do país deve ser restaurar a confiança perdida na economia

O presidente do Banco Central da Espanha, Miguel Ángel Fernández Ordóñez, que está de saída do cargo, afirmou nesta sexta-feira que a prioridade do país deve ser restaurar a confiança perdida na economia, ao passo que elevar custos da dívida seria algo extremamente perigoso para o médio prazo.

Espanha pedirá no sábado que União Europeia ajude bancos

Colapso da Espanha poderia causar 'desinvestimento' na América Latina

Ordóñez falou à diretoria do BC sobre o relatório anual da instituição.

Ordóñez, que tem sido culpado pelos problemas no sistema bancário espanhol que levaram o país para perto de buscar ajuda internacional, também defendeu a própria atuação.

Ele disse que, embora erros tenham sido cometidos, as decisões sempre foram tomadas de maneira profissional e acrescentou que a independência do BC deve ser preservada.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.