Tamanho do texto

Demanda foi elevada, mas retorno pago ao investidor que comprou os papéis foi de 6,121%, o nível mais alto do ano

O Tesouro Público espanhol colocou nesta quinta-feira 2,074 bilhões de euros em três emissões de dívida, mas em uma delas, a de letras a dez anos, teve de elevar os juros a 6,121%, o nível mais alto deste ano.

A emissão cobriu o máximo importe previsto, que oscilava entre 1 bilhão e 2 bilhões de euros, e a demanda das entidades foi muito elevada, de 6,841 bilhões, com que a proporção de cobertura foi de 3,4 vezes.

Dos 2,074 bilhões de euros captados hoje, 637,94 milhões o foram em bônus a três anos, com juros de 4,483%, acima dos 3,52% precedentes; enquanto outros 825 milhões foram negociados em letras a cinco anos, com uma rentabilidade de 5,443%, superior à anterior de 4,368%.

Os 611,22 milhões de euros restantes foram captados em títulos a dez anos, com juros de 6,121%, três décimos acima dos 5,778% da última emissão desse prazo, realizada em abril. A emissão de letras a dez anos ficou quase um ponto percentual abaixo dos 7,09% dos bônus de igual prazo emitidos pela Espanha em novembro, no nível mais alto desde 1997.

Entre os fatores que permitiram à Espanha encerrar sua emissão de hoje com uma aceitável alta de rentabilidade está, segundo analistas do Saxo Bank, o fato de que a Alemanha parece disposta a ceder às exigências de aceitar um resgate dos bancos sem passar pelo Estado. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.