Tamanho do texto

Resultado do leilão deu sinais positivos para o país e reflete que Portugal está afastado do foco da pressão dos mercados

Portugal colocou hoje 1,5 bilhão de euros, o montante máximo de sua emissão, em dívida a seis e doze meses em troca de taxas de juros menores do que na última ocasião, há cerca de um mês.

O Tesouro luso vendeu 500 milhões de euro em títulos a seis meses a 2,65% de juros, contra 2,93% da última ocasião.

Portugal cumpre exigências de resgate

Também vendeu um bilhão de euros em letras a doze meses pelas quais pagou juros de 3,83%, uma queda de sete centésimos em relação ao leilão anterior.

O resultado do leilão deu sinais positivos para o país e reflete que Portugal está afastado do foco da pressão dos mercados, dirigido principalmente para Espanha e Itália.

De fato, os juros de 2,65% registrados hoje na dívida a seis meses é a menor taxa paga por Portugal a este vencimento desde setembro de 2010, sete meses antes do resgate financeiro do FMI e da União Europeia, quando ela foi colocada a 2%.

A demanda, em ambos os casos, superou nesta quarta-feira amplamente a oferta, multiplicando-se por 2,7 no caso dos títulos a seis meses e por 4,3 nas letras a um ano.

O Tesouro luso emite unicamente dívida a curto prazo desde que o país obteve, em maio de 2011, 78 bilhões de euros de ajuda externa.

A credibilidade de Portugal se beneficiou pelo apoio dos técnicos de Bruxelas e do Fundo Monetário Internacional, que avaliam o cumprimento do programa de ajustes e reformas pactuado em troca do resgate e que o governo luso executou com rigor.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.