Tamanho do texto

Vice-presidente do banco central da Alemanha defendeu sistema de leis administrativas para que mecanismo seja eficaz

A vice-presidente do banco central da Alemanha (Bundesbank), Sabine Lautenschlaeger, afirmou que uma união bancária na zona do euro só poderia ser estabelecida após a implementação de uma base legal. "Isso só pode acontecer no fim de uma longa estrada", disse ela em uma entrevista ao jornal alemão Frankfurter Allgemeine Zeitung.

VejaUE deve esclarecer suas visões sobre o euro, diz presidente do BCE

"Embora a legislação de supervisão seja amplamente harmonizada, a Europa ainda precisa de um sistema de leis administrativas que é absolutamente essencial para qualquer agência que teoricamente seria capaz de uma ação direta", comentou Lautenschlaeger.

Esta semana, o presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, cobrou que os líderes políticos da Europa estabeleçam uma união bancária para proteger os correntistas e evitar que bancos em colapso ameacem o sistema financeiro do bloco. "A criação de um sistema de seguros de depósito na Europa e de um fundo de resgate na UE pode levar a um compartilhamento de risco", argumenta a vice-presidente do Bundesbank.

TambémUnião Europeia sugere usar sistema de proteção para sanear bancos espanhóis

Lautenschlaeger afirma que o modelo da união bancária só seria bem-sucedido "se forem estabelecidos uma união fiscal, um controle central e direitos de execução". Além disso, ela alega que para tanto seria necessária uma ampla mudança nos tratados da UE e nas constituições nacionais, o que levaria muito tempo. Por isso, essa não é uma solução prática para os problemas enfrentados pelo bloco agora, diz ela. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.