Tamanho do texto

SÃO PAULO - A Cosan Limited divulgou hoje uma revisão nos termos do aumento de capital que será realizado em operação privada com aporte de recursos por parte de fundos da Gávea e do controlador da empresa, Rubens Ometto. O aumento de capital deverá ser de US$ 200 milhões e não mais de US$ 180 milhões. Ao mesmo tempo, o preço de subscrição por ação classe A ou BDR foi reduzido de US$ 7,90 para US$ 4,50.

Segundo a empresa, os recursos serão utilizados no fortalecimento da estrutura de capital do Grupo Cosan e também darão suporte aos projetos de expansão e possíveis aquisições.

De acordo com o Fato Relevante divulgado pela companhia, fundos de investimentos administrados por afiliadas da Gávea Investimentos, gestora do ex-presidente do Banco Central Armínio Fraga, se comprometeram a comprar 33.333.333 ações classe A ou BDRs, no montante total de US$ 150 milhões. Pelo acordo anterior, o limite máximo era de US$ 130 milhões.

Ao mesmo tempo, o controlador indireto da companhia, Rubens Ometto, concordou em subscrever até 11.111.111 novas Ações Classe A, ao mesmo preço de emissão (US$ 4,50), desembolsando o total de US$ 50 milhões - mesmo montante financeiro previsto antes.

Os acionistas da companhia, sejam titulares de ações classe A ou BDRs, poderão participar da colocação com base na quantidade de ativos detidos em 2 de outubro de 2008.

A empresa ressalta que o número ações ou BDRs a ser adquirido pelos Fundos Gávea poderá ser reduzido caso os demais acionistas tomem parte na oferta. No entanto, em nenhuma hipótese, o investimento feito pelos Fundos Gávea será inferior a US$ 60 milhões. Na proposta anterior, este limite era de US$ 90 milhões.

(Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.