Tamanho do texto

Parte dos recursos pode ser destinada para uma futura parceria com consórcio vencedor do trem-bala

Os Correios planejam investir R$ 500 milhões este ano, embora o presidente da empresa, Wagner Pinheiro, acredite que só será possível aplicar entre R$ 350 milhões e R$ 400 millhões.

O executivo explicou que ainda há problemas de agilidade dentro da empresa para investir, mas afirmou que o planejamento para os próximos quatro anos prevê um total de R$ 4 bilhões em investimentos.

A maior parte dos recursos será destinada à recuperação da infraestrutura, como terminais de carga, a modernização da rede de TI e a possibilidade de a empresa se associar ao consórcio vencedor do leilão do trem-bala.

Pinheiro ressaltou que os Correios não vão participar do leilão, mas apenas tentar uma associação com os vencedores. "Estamos finalizando a formatação da proposta para entregar para quem vencer. Vamos estabelecer critérios para participar e, se eles aceitarem, a gente entra", diz.

O executivo explicou que o maior interesse dos Correios será usar o trem-bala para escoar parte da carga hoje transportada por avião e caminhão no eixo Campinas-São Paulo-Rio de Janeiro. A região responde por cerca de 45% de todas as cargas dos Correios no Brasil.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.