Tamanho do texto

O consumo de energia elétrica no País apresentou nova queda em fevereiro, de 4,4% sobre mês do ano passado, informou hoje a Empresa de Pesquisa Energética (EPE), em boletim mensal divulgado hoje. De acordo com a entidade, o montante de energia demandado no mês passado atingiu 30,7 mil gigawatts-hora (GWh).

A EPE lembra, no entanto, que essa queda deve ser relativizada por conta de o ano de 2008 ter sido bissexto, com 29 dias em fevereiro. "Caso fevereiro do ano passado tivesse 28 dias, como em 2009, a queda seria de 1%", informou a EPE. Ainda segundo a EPE, foi o pior resultado para meses de fevereiro desde 2002.

O boletim demonstra que a grande responsabilidade pela queda no indicador foi a redução das atividades industriais. Na comparação de fevereiro com fevereiro do ano passado, o consumo industrial de energia caiu 12,2%, sendo que a maior queda foi registrada na região Sudeste (14,3%). Apesar do recuo no setor industrial, o consumo cresceu nas áreas residencial (2,2%) e comercial (4,6%), na mesma base de comparação.

No acumulado dos dois primeiros meses deste ano, há uma queda no consumo geral de 4,5% ante igual período de 2008, sendo que na área industrial a queda foi de 13,5%. Na área comercial houve um crescimento de 3,5% em 2009 e na área residencial, de 3,8% no consumo. Já no acumulado dos últimos 12 meses até fevereiro, o consumo de energia geral cresceu 2,2%. No período, por categoria, residencial avançou 4,8% e comercial subiu 5,5%, enquanto o segmento industrial teve queda de 0,4%.

A EPE destacou que apesar das reduções em fevereiro, "já se pode perceber indícios de reversão do comportamento do consumo em relação aos últimos três meses, quando a desaceleração da economia refletiu-se muito fortemente no consumo industrial de energia elétrica".

A justificativa para tal comentário, ante tantos números negativos, é dada pela EPE com base na expectativa negativa que estava sendo gerada para o mês de fevereiro. "Com efeito, dado o consumo apurado em janeiro e considerada a componente sazonal, era de se esperar que o consumo industrial de energia em fevereiro se situasse em torno de 12.200 GWh, cerca de 3% abaixo do valor apurado, de 12.588 GWh. Sob este critério de cálculo, é a primeira vez, desde novembro - quando a crise começou a impactar o consumo de energia das indústrias - que o valor apurado supera o valor esperado", informou a EPE.

Ainda, segundo análise da entidade, o consumo das famílias tenderia a crescer mais fortemente, indicando o efeito naturalmente retardado do aumento da renda e da incorporação de novos equipamentos eletrodomésticos ocorrida ao longo do ano passado nas residências. Em relação a fevereiro de 2008, o consumo médio mensal por consumidor cresceu 1,8%, atingindo 146,4 quilowatts-hora (kWh). Além disso, o número de novas ligações cresceu a um ritmo menor. Até dezembro, a média mensal era de 165 mil novas ligações. Em fevereiro caiu para 135 mil. "Este resultado esteve fortemente influenciado pela apuração na região Sudeste, que responde por mais de 50% do consumo de energia das famílias", informou a EPE.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.