Tamanho do texto

Apesar do desempenho positivo de 4,1%, houve uma desaceleração na comparação com o desempenho em 2010 quando houve alta de 6,9%

A despesa de consumo das famílias cresceu 4,1% em 2011, oitavo ano consecutivo de aumento segundo dados divulgados nesta terça-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Consumo das famílias segue em expansão pelo oitavo ano seguido, segundo IBGE
AE
Consumo das famílias segue em expansão pelo oitavo ano seguido, segundo IBGE
Mas apesar do desempenho positivo, houve uma desaceleração quando comparado com o resultado em 2010. Naquele ano, o consumo das famílias havia apresentado uma expansão de 6,9%, de acordo com o IBGE. Um ano antes, em 2009, quando o resultado do PIB ficou negativo em 0,33%, as despesas das famílias brasileiras apresentaram crescimento de 4,4%.

De acordo com Roberto Olinto, coordenador de Contas Nacionais do IBGE, a desaceleração da despesa de consumo das famílias ao longo de 2011, pode ser atribuída ao cenário de crise verificado no ano que passou.

"Não vamos crescer a taxas altíssimas o tempo todo", disse Olinto, que citou ainda taxa de juros e inflação como outros fatores que desestimularam o consumo.

"As políticas de distribuição de renda claramente estão sustentando o consumo das famílias. Mas, no momento em que você tem uma queda da atividade econômica, o que se verifica é uma diminuição na renda e no consumo. Mas, é importante mostrar que há desacelaração e não queda", acrescentou Olinto, do IBGE.

Consumo das famílias

Evolução dos gastos no Brasil

Gerando gráfico...
Fonte: IBGE

Brasil cresce 2,7% em 2011 e vira 6ª economia

Na análise do quarto trimestre, dentre os componentes da demanda interna, a despesa de consumo das famílias cresceu 2,1%, a 33ª variação positiva seguida nessa base de comparação.

A Despesa do Consumo da Administração Pública aumentou 1,9% no ano e a Formação Bruta de Capital Fixo, por sua vez, apresentou expansão de 4,7% em 2011.

Dilma culpa crise europeia por baixo crescimento

Agropecuária foi grande destaque do PIB em 2011

Freio na indústria impediu PIB mais robusto em 2011

Nessa mesma linha de análise, no quarto trimestre a Formação Bruta de Capital Fixo aumentou 2% e a despesa de consumo da administração pública cresceu 1,3%, segundo informou o IBGE, após a apresentação dos dados sobre o desempenho do Produto Interno Bruto (PIB) no ano passado.

(Colaborou Ilton Caldeira, iG São Paulo)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.