Tamanho do texto

Importações vindas do México estão fora da medida governamental que aumentou o imposto

selo

As importações de veículos produzidos no México ao Brasil cresceram depois do aumento do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para veículos importados em 30 pontos porcentuais, em vigor desde a metade de dezembro do ano passado. As importações vindas do México estão fora da medida governamental que aumentou o imposto, assim como aqueles importados do Mercosul.

Leia também: Brasil e México fecham acordo sobre regime automotivo

De acordo com dados da entidade, do total dos veículos importados pelo País no primeiro bimestre de 2012, 24,88% vieram do México. Já a fatia de 57,87% foi importada pelas montadoras instaladas no Brasil e 17% pelos associados da Associação Brasileira dos Importadores de Veículos Automotores (Abeiva).

"Foi um tiro no pé, pois as montadoras perderam share para as mexicanas", disse o presidente da Abeiva, José Luiz Gandini. Ainda segundo a entidade, o market share dos veículos importados do México, no mercado interno total brasileiro, era de 2,8% antes do aumento do IPI e ficou em 6,5% após o aumento do imposto aos importados.

Leia também: Vendas de veículos importados caem 12,3% em fevereiro

Hoje, o governo brasileiro está estudando, junto com o México, mudanças do acordo bilateral automotivo entre os dois países, depois do aumento de déficit comercial.

Em vigor desde 2002, o acordo bilateral entre o Brasil e o México permite a importação de veículos, peças e partes de automóveis do México com redução de impostos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.