Tamanho do texto

Setor apresentou crescimento de 4% ante abril no nível de ocupação, o que significou a geração de 57 mil postos de trabalho

selo

O setor de comércio puxou em maio o aumento do nível de ocupação na Região Metropolitana de São Paulo, o que contribuiu para a queda da taxa de desemprego. A avaliação é dos coordenadores da Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED), da Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade) e do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). No mês passado, o comércio apresentou crescimento de 4% ante abril no nível de ocupação, o que significou a geração de 57 mil postos de trabalho.

No total, o nível de ocupação na Região Metropolitana de São Paulo apresentou em maio um aumento de 1,3% ante abril, atingindo um montante de 9,611 milhões de pessoas empregadas. A pesquisa mostra que, no período, a taxa de desemprego chegou a 10,7%, a menor para maio desde 1990.

"O resultado foi duplamente positivo. Não só porque o dado conjuntural teve uma boa redução, mas também porque o desemprego caiu graças ao aumento da ocupação", observou o coordenador da pesquisa pela Fundação Seade, Alexandre Loloian.

O coordenador observou que o crescimento no comércio se deveu ao aquecimento do setor no período, devido a datas comemorativas, como o Dia das Mães. Ele lembrou que, no início do ano, o nível de ocupação apresentava certa estabilidade. "Não porque a ocupação estava crescendo, mas porque a população economicamente ativa estava contida, ou seja, você tinha pouca gente entrando no mercado de trabalho."

Além do comércio, a alta no nível de ocupação em maio foi puxada pelo segmento que inclui construção civil e serviços domésticos, que teve crescimento de 5,9% ante abril, gerando 75 mil postos de trabalho. O setor da indústria apresentou leve oscilação, de 0,2%, e o de serviços teve pequena queda, de 0,2%.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.