Tamanho do texto

SÃO PAULO - O Citigroup disse nesta sexta-feira que vai propor aos seus acionistas preferencialistas que troquem suas participações por ações ordinárias em um montante total de US$ 27,5 bilhões.

Ao mesmo tempo, o Departamento do Tesouro dos EUA, que também possui ações preferenciais do Citi, deve complementar o aporte de capital fazendo conversão semelhante no valor de US$ 25 bilhões, o que não representa injeção de dinheiro novo.

Se as condições máximas da proposta forem atingidas, o governo dos EUA pode acabar com uma fatia de 36% no capital votante do Citi e os atuais detentores de ações ordinárias do banco ficarão com 26% do capital, o que representa uma forte diluição.

O preço de conversão das ações será de US$ 3,25, ante uma cotação de US$ 2,46 do fechamento de ontem.

Segundo Citi, a conversão deverá elevar seu capital próprio ordinário tangível (tangible common equity - TCE ) para US$ 81 bilhões. "A transação tem o objetivo de elevar o TCE do Citi para um nível que acabe com a incerteza e restaure a confiança do investidor na companhia", afirmou o banco em comunicado. O TCE é o resultado do patrimônio líquido da instituição, menos os ativos intangíveis e o capital preferencial.

O índice de capital de Nível 1 do Citi, que era de 11,9% ao final de dezembro, não é alterado com a operação.

Ao mesmo tempo em que propõe a conversão de ações, o Citi disse que vai suspender o pagamento de dividendo de algumas classes de suas ações preferenciais, o que deve incentivar a migração. Os dividendos das ações ordinárias também serão cortados.

Segundo o Citi, o fundo soberano de Cingapura (GIC), a empresa do príncipe árabe HRH Prince Alwaleed Bin Talal Bin Abdulaziz Alsaud, a Capital Research Global Investors, a Capital World Investors e outros investidores manifestaram interesse na troca.

Também hoje, o Citi revelou que reviu os dados do balanço do quarto trimestre do ano passado e informou que realizou uma baixa contábil nos seus ativos intangíveis no montante de US$ 9,6 bilhões antes de impostos. As baixas estão relacionadas com as unidades de banco de consumo (financeira) da América do Norte e da América Latina, entre outras.

Com esse impacto, o prejuízo líquido do banco com operações continuadas para o exercício de 2008 passa a ser de US$ 32,1 bilhões, ou US$ 6,42 por ação. O resultado anterior apontava perda líquida de US$ 12,14 bilhões, ou US$ 2,44 por ação.

Em comunicado separado, o presidente do conselho do Citi, Richard Parsons, disse que o órgão passará por uma reformulação para que seja formado por uma maioria de membros independentes o mais rápido possível. O conselho é formado por 15 integrantes, sendo que três deles já haviam manifestado intenção de não concorrer para um novo mandato em abril e dois devem se aposentar por terem atingido a idade limite prevista no estatuto.

Leia mais sobre Citigroup

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.