Tamanho do texto

RIO - O presidente da Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf), Dilton do Conti Oliveira, revelou que a estatal vai disputar três dos seis lotes que serão licitados na semana que vem, no Rio, no leilão de linhas de transmissão para as usinas de Jirau e Santo Antônio, no rio Madeira (RO). A subsidiária da Eletrobrás entrará no pregão associada à Furnas e à CTEEP.

"Sempre que entramos em uma competição, buscamos sair vencedores, desde que sem prejuízo empresarial, porque não vamos afundar os preços só porque queremos ganhar", frisou Oliveira, que participou do XII Congresso Brasileiro de Energia, no Rio.

O executivo confirmou que, dados os investimentos estimados em R$ 7 bilhões para a construção das linhas, não será possível construir as unidades sem apoio de instituições como o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), que ontem anunciou as condições de financiamento para o projeto.

"Para investimentos menores, temos usado recursos próprios, mas um investimento de R$ 7 bilhões não dá para fazer sozinho e é indispensável a presença do investidor privado nacional ou internacional", destacou o executivo, que reafirmou a projeção de que as obras para a construção da hidrelétrica de Jirau começarão este ano.

Oliveira revelou também que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva deverá receber nas próximas semanas um relatório elaborado por um grupo interministerial sobre a renovação das concessões de hidrelétricas. A incerteza sobre a renovação foi o principal motivo do fracasso do leilão da Cesp, uma vez que os possíveis compradores não tinham certeza sobre a manutenção de algumas hidrelétricas sob o guarda-chuva da empresa a partir de 2015.

"Não tenho informação se governo resolveu não renovar as concessões, mas acredito que, qualquer que seja a decisão, será válida para todas as companhias, estatais ou privadas", disse Oliveira.

(Rafael Rosas | Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.