Tamanho do texto

Moscou, 11 mai (EFE).- O Ministério de Situações de Emergência da Rússia confirmou que o número de mortos em decorrência das duas explosões de gás metano em uma mina na Sibéria chegou a 43.

Moscou, 11 mai (EFE).- O Ministério de Situações de Emergência da Rússia confirmou que o número de mortos em decorrência das duas explosões de gás metano em uma mina na Sibéria chegou a 43. O número pode ser ainda maior, já que outras 47 pessoas seguem desaparecidas, entre mineiros e membros das equipes de salvamento que entraram nas galerias após a primeira explosão e ainda estão soterrados. Outas 84 pessoas ficaram feridas, das quais 79 ainda estão internadas, uma delas em estado muito grave e cinco em estado grave. O primeiro-ministro russo, Vladimir Putin, chegou na manhã desta terça-feira à localidade de Mezhdurechensk, lugar da catástrofe, onde se informou sobre o andamento dos trabalhos de resgate e se reuniu com os membros da comissão estatal criada para prestar assistência aos feridos e familiares dos mortos. Além disso, se reuniu com um grupo de familiares dos falecidos, aos quais expressou suas condolências e garantiu que o Estado cumprirá com todas suas obrigações, entre elas o pagamento de compensações. Putin visitou ainda um hospital na localidade de Novokuznetsk, onde conversou com os feridos, perguntou sobre suas condições e desejou melhoras. EFE egw/fm

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.