Tamanho do texto

Caracas, 3 jul (EFE).- O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, afirmou hoje que o preço do petróleo continuará subindo, mas não por culpa dos países produtores, e, sim, pelo desperdício energético das grandes potências, entre outras causas.

"(O preço do barril de petróleo) vai continuar subindo", declarou Chávez, ao se referir aos recordes do petróleo e reiterar que "US$ 100" é um preço que seu Governo "revolucionário" considera aceitável.

Na reunião de ministros de Informação do Movimento de Países Não-Alinhados (Noal), o presidente venezuelano voltou a ressaltar que assuntos como "as ameaças contra o Irã" e seu país, além do "desperdício" energético das potências, são os responsáveis pela escalada dos preços do petróleo.

"Querem jogar a culpa em nós (da Venezuela), nos árabes, nos produtores (da Opep) (...). Retirem as tropas do Iraque, parem com as ameaças contra o Irã e contra a Venezuela, contra os países petroleiros, e verão como (o preço do petróleo) cai", destacou Chávez.

O chefe de Estado venezuelano acrescentou que "há outros fatores" que contribuem para a alta dos preços da energia, como o fato de "as reservas de petróleo estarem se esgotando nos países (...) e um consumo exagerado" por parte das grandes potências, como os Estados Unidos.

"O consumo de petróleo dos 50 países mais pobres do mundo (...) chega a 700.000 barris diários. Sabem quanto os EUA consomem? Vinte e um milhões de barris por dia (...). É um desperdício", declarou Chávez. EFE gf/sc

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.