Tamanho do texto

Segundo pesquisa do Dieese, as maiores altas foram observadas em Recife (2,79%), Fortaleza (2,54%) e Rio de Janeiro (1,90%)

A cesta básica ficou mais cara em 12 de 17 capitais em maio, segundo dados divulgados nesta sexta-feira pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). Em abril, o preço para adquirir o conjunto de produtos básicos havia recuado em 14 cidades pesquisadas.

As maiores altas de maio foram registradas em Recife (2,79%), Fortaleza (2,54%), Rio de Janeiro (1,90%), Vitória (1,75%), São Paulo (1,66%), Goiânia (1,34%) e Florianópolis (1,02%).

A cesta mais cara do País continua sendo a de São Paulo, com R$ 272,98. Em seguida aparece Porto Alegre, com R$ 265,70, e Vitória, onde a compra dos itens básicos sai por R$ 260,59. Já as cestas mais baratas do Brasil podem ser adquiridas em Aracaju (R$ 186,67), João Pessoa (R$ 200,18) e Salvador (R$ 202,40).

Segundo o Dieese, cinco capitais registraram queda no preço da cesta em maio, com destaques para Natal (-1,79%) e Manaus (-0,96%).

No acumulado dos cinco primeiros meses do ano, a cesta básica está mais cara em 16 das 17 cidades pesquisadas pelo Dieese. A única queda foi registrada em Manaus, com recuo de preço de 2,59%. As maiores altas são observadas em Vitória (7,68%), Rio de Janeiro (7,14%), Florianópolis (7,13%), Brasília (6,53%), Aracaju (6,13%) e Fortaleza (6,01%).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.