Tamanho do texto

Brasília, 1 - Cerealistas do Rio Grande do Sul estiveram hoje no Ministério da Agricultura, solicitando a realização de leilões de Prêmio de Escoamento do Produto (PEP) para o trigo, em janeiro do próximo ano. O cronograma do Ministério previa a realização de 12 leilões para o cereal, dos quais oito seriam realizados ainda este ano.

A preocupação dos cerealistas é de que o orçamento de 2010 não contemple recursos para as operações de janeiro. "Os recursos ainda não estão assegurados e isso nos traz preocupação, em relação ao comportamento dos preços", disse à Agência Estado , o presidente da Associação das Empresas Cerealistas do Brasil (Acebra), Airton Gilmar Roos.

O grupo, que esteve reunido com o secretário de Política Agrícola, Edilson Guimarães, solicitou também mudanças no edital, a fim de ampliar o prazo de comprovação do escoamento do trigo no Rio Grande do Sul, para setembro do próximo ano. Pelas normas atuais, é preciso realizar a comprovação de embarque até 60 dias após a comprovação de pagamento do produto.

"O secretário nos explicou que até setembro será difícil, porque já terá início a safra do ano seguinte, mas prometeu estudar a proposta, levando em consideração o prazo em julho", relatou Roos. A reivindicação foi feita, porque de janeiro a março os portos do País ficam praticamente fechados, com o escoamento da soja.

Os cerealistas solicitaram também aumento nos prêmios dos leilões que não foram reajustados, como ocorreu com os preços mínimos do trigo brando (5%) e pão (10 a 12%).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.