Tamanho do texto

A Região Centro-Oeste concentra os três principais biomas do Brasil: Amazônia, Cerrado e Pantanal. Até pouco tempo, o desmatamento da Amazônia tirava o sono dos ambientalistas.

A Região Centro-Oeste concentra os três principais biomas do Brasil: Amazônia, Cerrado e Pantanal. Até pouco tempo, o desmatamento da Amazônia tirava o sono dos ambientalistas. Mas, com o sucesso das pressões internacionais sobre o agronegócio na região, as atenções estão agora voltadas para a preservação do Cerrado, que é um bioma extremamente vulnerável. "O cerrado está sem atenção das autoridades, está desprotegido. O risco de continuar a destruição de áreas naturais no cerrado é muito grande", diz Laurent Micol, coordenador executivo do Instituto Centro de Vida (ICV), com sede em Cuiabá (MT). E a tendência é, segundo ele, de aumento das pressões por mais terras. É que, nos próximos anos, "espera-se uma volta ao crescimento da demanda mundial por áreas agricultáveis, tanto para a produção de alimentos quanto para a produção de biocombustíveis, e isso significa uma pressão maior por espaço". A preservação dos recursos hídricos é outro tema emergencial. Todas as grandes bacias hidrográficas nacionais nascem neste bioma: a do São Francisco, do Tocantins, a Amazônica, do Pantanal e do Rio Paraná. E a água "é o principal insumo da agricultura", como lembra Luis Fernando Laranja, diretor executivo da Ouro Verde Amazônia, empresa que processa e comercializa produtos orgânicos derivados de castanha-do-pará. Laranja defende a necessidade de controle na utilização dos agrotóxicos, que são potenciais fontes poluidoras. Micol completa, dizendo que a destruição da vegetação nativa, localizadas sob os aquíferos, coloca em risco todos esses mananciais, prejudicando diretamente toda a cadeia de produção do agronegócio. De fato, as preocupações com a sustentabilidade do agronegócio estão contribuindo para o avanço do diálogo entre produtores e ambientalistas. Tanto que Cassio Franco Moreira, coordenador do Programa Agricultura e Meio Ambiente do WWF-Brasil, conta que seu objetivo é "mostrar para o produtor que a preservaçãoé que vai garantir chuvas mais regulares e a amenização do aquecimento global".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.