Tamanho do texto

Dados divulgados pela Anatel revelam que não há mais nenhuma linha ativa usando essa tecnolologia no mercado brasileiro

Não existem mais celulares analógicos no País. Dados divulgados pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) revelam que não há mais nenhuma linha ativa usando essa tecnologia no mercado brasileiro. Até maio, ainda havia um resquício de 509 linhas ativas, mas em junho esse número foi zerado, segundo a agência.

Para as operadoras, é um "alívio" a extinção do analógico. Representa um custo a menos para elas, pois as empresas não podem extinguir o serviço enquanto houver um cliente que use o sistema, nem obrigá-los os clientes a migrar para outras tecnologias. E manter a rede analógica ativa significa custos. Entre o total de celulares ativos no país, 88,24% usam a tecnologia GSM, 5,63% usam a tecnologia 3G, 3,15% usam a CDMA, 0,09% são TDMA e 2,89% representam os terminais de banda larga móvel.

O Brasil ultrapassou a marca de 185 milhões de celulares em junho. No mês passado, foram habilitadas 1,42 milhão de linhas, o que fez com que o número de acessos no país chegasse a 185,13 milhões, o que representa 95,92 acessos por 100 habitantes. Desse total, 82,32% são pré-pagos e 17,68% são pós-pagos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.