Tamanho do texto

Após reunião no Fundo, mexicano disse acreditar que suas possibilidades de derrotar a francesa são "boas"

O mexicano Augustín Carstens
Reuters
O mexicano Augustín Carstens
O governador do banco central mexicano, Agustín Carstens , disse nesta terça-feira que seria um melhor diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI) que a rival francesa, Christine Lagarde , porque tem mais "experiência".

Questionado pela imprensa na frente da sede do FMI em Washington por que achava que seria um melhor diretor-gerente que a ministra da Economia francesa, ele respondeu firme: "pela experiência".

Carstens, que manteve um encontro de três horas com os membros do Conselho Executivo do FMI no qual expressou seus pontos de vista sobre "os riscos e desafios" que enfrenta o organismo, qualificou a reunião como "muito proveitosa".

Lagarde é a favorita para chegar à direção do FMI, enquanto seu rival mexicano, que hoje disse crer que suas possibilidades de derrotar a Lagarde são "boas", insistiu que "definitivamente é necessário haver uma maior abertura no FMI".

O Conselho Executivo do FMI, integrado por 24 membros que representam os 187 países membro da instituição, será o encarregado de escolher o próximo diretor-gerente da instituição.

Lagarde se reunirá com o Conselho Executivo na quinta-feira e na próxima terça-feira, dia 28, os integrantes do mesmo se reunirão para falar sobre as forças dos dois aspirantes ao posto com o objetivo de completar o processo de seleção para 30 de junho.

O FMI sustenta que a ideia é que o próximo diretor-gerente do organismo se eleja por consenso. A decisão será publicada através de um comunicado de imprensa no final deste mês. O francês Dominique Strauss-Kahn foi forçado a deixar a direção do FMI no início do mês passado após ter sido acusado de tentar violar uma camareira de hotel em Nova York. O ex-diretor-gerente do Fundo permanece sob prisão domiciliar e deve comparecer perante um tribunal em 18 de julho.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.