Tamanho do texto

Indicação é principal forma de recrutamento no Brasil, dizem pesquisas

Antes de colocar o anúncio no jornal sobre uma vaga aberta de recepcionista em seu escritório, o empresário Fernando Nogueira perguntou à sua rede de contatos: vocês conhecem alguém com esse perfil?. O posto necessitava de uma jovem que estivesse na faculdade. Ele conta que um colega seu indicou uma moça que ele não hesitou em chamar para uma entrevista.

Após a conversa, Catarina Souza, de 20 anos, foi contratada imediatamente. A indicação dela me poupou alguns dias de seleção. Ela já tinha experiência e aparentou estar disposta para trabalhar. Foi o que me bastou, afirma Nogueira.

Histórias como a de Catarina são mais comuns do que se imagina e quanto mais alto o posto, mais imprescindíveis são as recomendações, aponta Roberta Giuliano, sócia da Passarelli Consultores.

As indicações funcionam para todas as profissões e posições. Para conseguir o nome de um profissional, acionamos toda a nossa rede de contatos. Para ser indicado, por sua vez, o profissional também tem que ter relacionamentos com headhunters e pessoas influentes no mercado, explica a consultora.

Recomenda-se - Para Fernando Nogueira, a indicação ¿ seja para um trabalho ou para um negócio ¿ acaba sendo uma espécie de referência. Se indicam, é porque gostaram. Chegar a algum lugar com um currículo impecável é sempre muito bom, mas por intermédio de uma boa indicação, é melhor ainda.

O publicitário Emerson Silva, redator do blog waaper , comenta que ter o nome indicado passa credibilidade. Manter uma rede estável e confiável de contatos ajuda muito quando se precisa de uma oportunidade, tanto em uma empresa quanto em um trabalho de freelancer, por exemplo. É sempre melhor apostar na certeza de quem já conhece o profissional do que arriscar em uma procura que pode gerar frustrações e perda de tempo.

Números -
Uma pesquisa feita pela Catho Online no ano passado com mais de 13 mil profissionais apontou que o networking é a principal ferramenta para conseguir uma recolocação. Segundo o levantamento, a maior parte das pessoas (28%) foi contratada graças à indicação de amigos que trabalham dentro da empresa (17%) ou fora da organização (11%). No Google, por exemplo, 50% dos funcionários que trabalham lá foram indicados.

Outro estudo feito pela consultoria americana Challenger, Gray and Christmas afirma que 48% dos 200 entrevistados conseguiram um trabalho graças ao networking. O Grupo Impacta Tecnologia também fez uma pesquisa e concluiu que 64% das contratações que ocorrem no setor de TI resultam de indicações de outros funcionários.

Relacionamento - Portanto, não basta ter um bom currículo e ser um funcionário exemplar se a sua rede de contatos não está em dia. Segundo Roberta Giuliano, uma dica para ser conhecido no mercado é também saber se relacionar com pessoas bem sucedidas. Pode-se aproveitar os coffee breaks para trocar cartões, conhecer gente. A rede LinkedIn ou outras ferramentas da internet também são valiosas, afirma.

Emerson Silva acrescenta que o profissional deve criar as oportunidades. Conheça pessoas e não tenha medo delas, no fim você terá muitos amigos e contatos importantes que podem te ajudar a encontrar um bom emprego, ou no final você pode indicar alguém e ajudar um amigo a sair da fila do desemprego, ensina.

Leia também:
- Aprenda mais sobre o poder do "networking"
- Como atrair um headhunter
- Referências profissionais em rede social beneficiam candidato
- Confira algumas dicas de etiqueta das redes sociais

Leia mais sobre empregos

Siga o iG Empregos no Twitter

Receba as atualizações do iG Empregos

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.