Tamanho do texto

Candidatos devem evitar colocar expressões muito repetidas, como "perfeccionista", "responsável", "motivado" e "comunicativo"

A carta de apresentação e o currículo devem comunicar ao recrutador os objetivos profissionais e demonstrar por que o candidato está apto a desempenhar a função pretendida. Por isso, é fundamental que ambos sejam elaborados de forma clara e objetiva. No entanto, é comum os candidatos usarem jargões, lugares-comuns e frases prontas para mostrar suas competências pessoais. Veja alguns exemplos reais coletados pelo iG Carreiras em currículos e cartas de apresentação de diferentes candidatos:

Danilo Chamas / Fotomontagem iG
Currículo deve apresentar experiências profissionais com objetividade e clareza
“Dentre minhas características destacam-se o perfeccionismo, dedicação e responsabilidade."

“Tenho facilidade na comunicação interpessoal, trabalhar em equipe, excelência no atendimento, fácil adaptação no ambiente profissional e capacidade de aprender novos desafios."

“Sou responsável, objetivo, flexível, organizado, motivado, dedicado, sempre estou em busca de aprendizado profissional ou conhecimentos que me faça crescer como ser humano.”

“Dentre minhas características profissionais destacam-se a dedicação, facilidade de interação com o grupo e aprendizado, responsabilidade e companheirismo."

Frases como essas não mostram o perfil do profissional e não o diferenciam dos demais. "Essas competências só serão analisadas na entrevista. Falar que é perfeccionista, responsável e dinâmico são informações muito vagas", afirma Letícia D´Incao, consultora da empresa e recrutamento e seleção Companhia de Talentos.

Segundo Letícia, o candidato deve descrever suas atividades, mas evitar expressões genéricas como "tenho ampla experiência". Frases como "sou uma pessoa focada em resultado" também não dizem nada ao recrutador. É preciso exemplificar as situações que mostram isso na prática.

Além desses exageros autopromocionais, também é comum os candidatos colocarem seus hobbies, pensamentos e frases bíblicas para impressionar o recrutador. "Esse não é o objetivo do currículo. O próprio entrevistador irá concluir se o profissional é ou não comunicativo, responsável, motivado, perfeccionista e simpático", afirma Andreza Santana, gerente de marketing sênior da empresa de recrutamento Monster Brasil.

Segundo Letícia, o ideal é o profissional mostrar na carta de apresentação qual o objetivo dele, aonde ele quer chegar e o que ele busca para sua carreira.

No currículo, o fundamental é relacionar as suas experiências com os requisitos da vaga que está concorrendo. Letícia ressalta que o currículo é a forma que o profissional tem de despertar o interesse do recrutador para que seja chamado para uma entrevista. Lugares-comuns sobre as qualidades e competências pessoais, apesar de muito utilizados, não são aconselháveis. O profissional deve demonstrar suas habilidades e características no momento da entrevista.

Dicas para fugir do lugar-comum

Confira algumas dicas das especialistas em recrutamento consultadas pelo iG Carreiras sobre como substituir expressões gastas por trechos mais informativos e úteis:

• Enumere pontos importantes sobre sua carreira: "São situações que irão mostrar suas habilidades e competências", destaca Andreza. Causa uma boa impressão, por exemplo, colocar que tem uma carreira ascendente na área, porque é algo que o recrutador pode comprovar quando analisa as experiências. "Se, nessa primeira parte, o profissional colocar só coisas subjetivas, ele estará desperdiçando os primeiros cinco segundos em que poderia impactar o recrutador." Mas é bom não exagerar na quantidade: no máximo dez tópicos.

• Liste experiências em implementação e participação de projetos que exigiram interface com outras áreas da empresa: Andreza afirma que, com isso, o entrevistador percebe que o profissional possui facilidade de trabalhar em equipe, sem que ele tenha necessariamente de escrever essa frase no currículo.

• Informe o conhecimento de ferramentas modernas e de alta tecnologia: nesse ponto, já fica subentendido, segundo Andreza, que é um profissional "antenado".

• Indique resultados concretos, como "melhorei em 50% a performance do projeto": desse modo, o profissional demonstra que tem foco em resultados. "Todos os itens do currículo, quando cabível, devem ter esse tipo de informação. Causa uma boa impressão", afirma Andreza.

• Mostre suas ações: segundo Andreza, o profissional deve descrever os principais projetos que participou. Por exemplo, contando uma meta que precisava atingir, as ações que tomou e como superou aquele resultado. Assim, o recrutador irá perceber que ele é uma pessoa que tem capacidade de passar por momentos de estresse e atingir metas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.