Tamanho do texto

Com jogos e pré-sal, autorizações para trabalho no País cresceram 30% em 2010

O crescimento da economia, além de contribuir para o "apagão" profissional em algumas áreas , também tem aumentado a quantidade de estrangeiros que vêm trabalhar no Brasil Em 2010, 56.006 profissionais estrangeiros foram autorizados a trabalhar no País, representando um aumento de 30% em relação a 2009. Deste total, 53.441 foram autorizações em caráter temporário, com estada no país de até dois anos. Entre as autorizações temporárias, o aumento foi de 32% e, entre as permanentes, de 4,5%. Os dados são do balanço da Coordenação Geral de Imigração (CGig), do Ministério do Trabalho e Emprego.

Raquel Teixeira, sócia da área de imigração da consultoria Ernst & Young, afirma que o número de estrangeiros no Brasil tem aumentado, entre outros motivos, devido à proximidade da Copa do Mundo e Olimpíadas. "O Brasil tem sido foco de investimentos de grandes empresas, principalmente na área de infraestrutura por causa dos jogos."

Danilo Chamas / Fotomontagem iG
Aumento de investimentos no Brasil atrai estrangeiros
Além disso, a descoberta do pré-sal fez com que esse número aumentasse. Segundo Raquel, um grande número dos estrangeiros vem para trabalhar em plataformas de embarcação. "Além dos equipamentos de fora, o Brasil não possui engenheiros suficientes e pessoas capacitadas que possam operar uma perfuração."

Muitos desses profissionais, segundo Paulo Sérgio de Almeida, coordenador-geral de imigração do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), vêm ao Brasil para compor o quadro inicial de novas empresas estrangeiras recém-instaladas no País. “Muitas vezes eles são responsáveis pela implantação dos negócios e depois de algum tempo retornam aos seus países de origem.” Por isso, mais de 90% das autorizações concedidas são em caráter temporário, com permanência do profissional por prazos que vão de alguns dias a no máximo dois anos. “Eles executam a tarefa designada, transferem conhecimentos aos trabalhadores brasileiros e depois deixam o País.”

Almeida afirma que o aumento do número de autorizações de trabalho concedidas desde 2006 está relacionado ao avanço dos investimentos no País, principalmente nos setores industrial, óleo e gás e energia. “Esse crescimento é caracterizado pela aquisição de equipamentos no exterior e implantação de novas empresas de capital estrangeiro no País. Isso demanda a vinda de profissionais especializados na supervisão de montagem e execução de etapas mais sensíveis no processo.”

No ano passado, Almeida destaca que o setor de óleo e gás demandou a vinda do exterior de equipamentos sofisticados e, com isso, a tripulação estrangeira acabou incorporando profissionais brasileiros. “Do total de profissionais estrangeiros autorizados a trabalhar temporariamente, 15.206 estavam relacionados ao trabalho a bordo de embarcação ou plataforma estrangeira.”

Relação de autorizações de trabalho temporárias concedida s a estrangeiros

Local de atuação dos estrangeiros 2006 2007 2008 2009 2010
Trabalho a bordo de embarcação ou plataforma estrangeira 7.405 7.756 10.974 13.371 15.206
Artista ou desportista, sem vínculo empregatício 5.009 6.366 7.420 6.617 8.470
Assistência técnica por prazo de até 90 dias, sem vínculo empregatício 5.083 4.939 6.293 5.806 8.028
Assistência técnica, cooperação técnica e transferência de tecnologia, sem vínculo empregatício 2.543 2.538 4.675 3.238 4.232
Especialista com vínculo empregatício 2.060 1.879 2.301 2.460 3.521
Marítimo estrangeiro empregado a bordo de embarcação de turismo 841 2.943 8.967 8.354 12.838
Ministério do Trabalho e Emprego

Em relação às autorizações permanentes, segundo Almeida, a maioria foi concedida para administradores, diretores, gerentes e executivos com poderes de gestão, totalizando 1.218. Já os investidores pessoa física somaram 848 autorizações em 2010.


Solicitações de autorizações de trabalho por país de origem

País de origem Solicitações de autorizações de trabalho em 2010
Estados Unidos 7.550
Filipinas 6.531
Reino Unido 3.809
Índia 3.237
Alemanha 2.904
Ministério do Trabalho e Emprego

Por gênero, segundo o Ministério do Trabalho, os homens estão em maior número entre os estrangeiros no Brasil. Do total das autorizações, 50.653 foram concedidas a eles. Em relação à escolaridade, 31.662 tinham Ensino Superior completo ou habilitação legal equivalente, 21.639 tinham o segundo grau ou técnico profissional, 476 tinham mestrado e 202 pós-graduação. Apenas 88 dos estrangeiros possuíam o segundo grau incompleto e 54 ainda não tinham completado primeiro grau.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.