Tamanho do texto

Veja o que os candidatos devem responder em cada caso

A entrevista é um momento decisivo na busca por um novo emprego. Saber responder às perguntas do recrutador já é meio caminho andado para conquistar uma vaga. Cada empresa tem o seu método, mas algumas perguntas são comuns entre quase todas as entrevistas. "Por que deixou seu último emprego", "fale sobre você", "diga três qualidades e três defeitos" e "quais são as suas experiências" são algumas delas. O que isso tudo tem a dizer sobre o candidato? Segundo os especialistas consultados pelo iG Carreiras , o recrutador sempre recorrerá a certas questões para conhecer melhor o profissional e avaliar se os seus valores estão alinhados aos da organização.

Na opinião de Fernando Marucci, sócio-gerente da consultoria de recrutamento e seleção Asap, uma das avaliações que mais diz sobre o profissional tecnicamente é quando se pede para ele comentar algo relacionado à sua área de atuação. "Por exemplo, se ele está concorrendo a uma vaga no setor de vendas, eu peço para ele me vender alguma coisa."

Danilo Chamas / Fotomontagem iG com SCX
Recrutador faz perguntas que avaliem os valores e o perfil dos candidatos

Para avaliar tecnicamente o candidato, outra saída é pedir que ele conte sua experiência na área. "Apesar de eu não ser técnica, preciso analisar se ele tem alguns pré-requisitos", afirma Thaís Lourenço, consultora da empresa de recursos humanos DMRH. Segundo ela, algumas perguntas tendem a ser mais específicas, para checar o grau de conhecimento do profissional.

Feito isso, vem a questão comportamental. "Comportamentos passados predizem comportamentos futuros", acredita Thaís. Muitas vezes, o recrutador pede que o candidato conte algumas situações que ele já vivenciou e que tenha se saído bem, como uma tomada de decisão ou um convívio difícil com um colega.

Apesar de comum, perguntar sobre as fraquezas e os pontos positivos que o candidato vê em si também é essencial. "Dependendo do que ele fala, conseguimos perceber se ele tem uma avaliação crítica e se é sincero e transparente", afirma Marucci. O importante é o profissional falar quais são as suas principais dificuldades, mesmo que estejam relacionadas á área na qual está se candidatando. Além disso, Thaís acredita que é importante o candidato contar uma situação que ilustre tais adjetivos.

Como lidar com as mudanças de emprego? Esta é outra questão frequente nas entrevistas. Thaís considera esse ponto fundamental para analisar os motivos da saída e perceber se possivelmente o candidato pode acabar saindo daquela empresa pelas mesmas razões. "Se ele saiu pelo salário, por exemplo, a chance de ele sair novamente caso receba uma proposta melhor é muito grande."

Há também perguntas que fogem do tradicional. Qual sua lembrança de infância mais marcante, escolha um poder de super-herói, qual animal você seria, que tipo de carro você gosta, diga cinco funções para um lápis sem ser escrever. "Questões como essa analisam o emocional do entrevistado e suas habilidades diante de possíveis problemas. Além disso, ajudam o recrutador a traçar seu perfil", destaca Cintia.

Empresas de consultoria estratégica também fazem perguntas mais inusitadas. Muitas delas têm o objetivo de avaliar o raciocínio lógico do profissional. "Já vi gestores perguntarem ao candidato quantos bueiros há em São Paulo. Não tem uma resposta certa ou errada, é apenas para ver a linha de raciocínio do profissional", explica Thaís.

Segundo pesquisa realizada em 2009 pela Catho Online, com uma amostra de 16.207 participantes, as empresas privadas realizam em média duas entrevistas por candidato antes da contratação do profissional. Companhias de grande porte têm uma tendência de conduzir processos seletivos mais longos.

Melhores respostas

Veja algumas linhas de respostas sugeridas pelos especialistas ouvidos pelo iG Carreiras para as perguntas mais comuns.

Fale-me sobre você: nessa situação, o entrevistado deve contar um pouco sobre sua vida pessoal e depois sobre as experiências profissionais, destacando sempre seus melhores projetos. "O candidato também pode perguntar ao recrutador se quer que ele conte tanto o lado pessoal quanto o profissional ou que foque em algumas questões específicas", afirma Thaís. O importante é lembrar que a entrevista é o momento que o candidato tem para "se vender" e contar algo que não está no currículo.

Por que deixou seu último emprego? O assunto é delicado e exige maturidade do candidato. "Os selecionadores querem sinceridade. O profissional deve ter um direcionamento para sua carreira e os próprios planos para o futuro", ressalta Cintia Ramos, consultora de recursos humanos da Catho Online. Mas, segundo ela, o candidato nunca deve falar mal da empresa ou do seu chefe anterior.

Quantos semáforos há em São Paulo? Perguntas desse tipo exigem do candidato um raciocínio lógico. Thaís aconselha que, diante de questões como essa, o melhor é falar todo o seu pensamento, para mostrar ao recrutador que linha está seguindo. "Essas perguntas não têm uma resposta certa. Eles só querem saber como o profissional pensa."

Fale três qualidades e três defeitos: para qualquer pergunta, a sinceridade é sempre a melhor saída. "Não diga o que você não é. Quando um recrutador pergunta isso, ele quer realmente saber quais são suas dificuldades e suas virtudes", ressalta Marucci. "Se mentir apenas para passar uma boa impressão, mais para frente o profissional será cobrado." Cintia destaca que o intuito do selecionador é saber quais diferenciais o profissional pode agregar à empresa. "Ele busca compreender se o candidato realmente sabe identificar seus pontos fortes e os que precisam ser melhorados."

Qual a expectativa para a sua carreira? Da mesma forma que a empresa deposita esperanças no candidato, este também espera que a empresa atenda às suas perspectivas. "Por isso, o objetivo desta pergunta é saber aonde o profissional quer chegar, quais são suas metas, e se a companhia pode atendê-las", afirma Thaís. Segundo Cintia, nesse momento o recrutador busca entender se o profissional já traçou um plano consistente de carreira e sabe o que fazer para realizá-lo.

Quer fazer alguma pergunta? Final da entrevista e agora é a vez do candidato tirar as dúvidas. "Não necessariamente ele deve fazer uma pergunta. Se ele acha que falou tudo o que queria e não tem nenhuma dúvida, não pergunte nada. Inventar é sempre pior", aconselha Thaís. Caso o candidato queira perguntar algo, algumas questões que podem ser abordadas são: o que a empresa espera do profissional, se há um plano de carreira e quais os critérios de avaliação de desempenho da empresa. "É nesse momento que o candidato pode renovar seu interesse pela oportunidade", afirma Cintia.